ANA CAROLINA DESABAFO

Loading...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Alagoas vive batendo Recorde, Na Saúde na Educação na Corrupção na compra de votos nos superfaturamentos entre outros, e agora mais um recorde o homicídio que nós Alagoanos já conhecíamos agora publicado pela imprensa para todo país.




Brasil tem o maior número de homicídios do mundo, afirma ONU. Considerando o tamanho da população, o Brasil tem a terceira maior taxa de homicídios da América do Sul. Só é pior na Venezuela e na Colômbia. Tendo Alagoas com o maior número de homicídios de jovens.
A ONU divulgou um relatório que revela como estamos vivendo. Ou melhor: quantos estão morrendo. O Brasil tem o maior número de homicídios do mundo em números absolutos. O perfil mais comum da vítima é o homem jovem.
O relatório tem outros destaques, um deles positivo para São Paulo. Usando dados do Ministério da Justiça, o relatório mostrou que a taxa de homicídios na cidade caiu de 20,8% para 10,8% em cinco anos.

Já outra notícia corrigiu dados divulgados com relação ao estado de São Paulo, veja:

Gráfico com dados errados cita a Polícia Federal e a Secretaria de Segurança Pública de SP como fontes (Imagem: Reprodução)
O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (Unodc, na sigla em inglês) reconheceu nesta quinta-feira (6/10) que publicou com erro uma tabela com dados sobre os índices de homicídio no Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro, no primeiro "Estudo Global sobre Homicídio", publicação lançada na madrugada do mesmo dia.
O gráfico errado compara a evolução dos índices nas duas cidades e no país entre 2001 e 2009. Questionado pelo G1, o Unodc no Brasil constatou o erro e informou por meio de sua assessoria que a sede internacional do escritório na Europa deve emitir uma errata nesta sexta (7).

Ao destacar o caso de São Paulo como um bom exemplo na diminuição de homicídios na última década, o gráfico aponta erroneamente que, entre 2001 e 2009, o índice em São Paulo saiu de cerca de 120 para pouco mais de 40 homicídios por 100 mil habitantes.
Os dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, no entanto, apontam que, em 2001, foram registrados 49,3 homicídios dolosos por 100 mil habitantes, enquanto em 2009 a taxa foi de 11,25 por 100 mil.
Mudanças
O estudo aponta que Paraná, Pará e Bahia, estados que em 1998 apresentavam índices relativamente baixos, passaram a ocupar lugares de maior destaque no ranking em 2008. Ao contrário destes estados, São Paulo apresentou melhora significativa.
Em 1998, São Paulo tinha uma taxa de 79,2 homicídios por cem mil habitantes, ocupando a 5ª posição do ranking. Em dez anos, a taxa caiu para 25,3, e São Paulo passou a ocupar a 25ª posição no ranking. "São Paulo está bem no contexto nacional, mas no contexto internacional a melhora apresentada ainda não é suficiente", disse Waiselfisz.
O relatório aponta o estado de Alagoas como o estado que tem mais de 60 homicídios em cada cem mil habitantes. Sendo assim o estado com o maior número de homicídios de jovens entre 15 e 24 anos. De acordo com o “Mapa da Violência 2011 – Os Jovens do Brasil”, elaborado pelo Instituto Sangari e divulgado no dia (24/02/2011) pelo Ministério da Justiça, a taxa de homicídios em Alagoas, em 2008, foi de 125,3 por cem mil habitantes.
Há dez anos, Alagoas ocupava a 13ª colocação no ranking dos estados, com uma taxa de 30,6 homicídios por cem mil habitantes. Neste período, a taxa de homicídios no estado quadruplicou.
"Um estado como Alagoas, que há até poucos anos apresentava taxas moderadas, abaixo da média nacional, em pouco tempo passou a liderar o triste ranking da violência do país, com crescimento vertiginoso a partir de 1999", diz trecho do estudo, que tem como fonte os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde.
O Bom Dia Brasil foi para as ruas mostrar como as pessoas convivem com a violência.
À noite, a população se esconde. “Homicídio, assassinato, assalto, aqui tem demais. Eu mesmo não passo das 21h na rua”, lembrou um rapaz. De acordo com o estudo das Nações Unidas em todo o mundo, o Brasil é o país com o maior número de assassinatos. “Tem ocorrido muito por aqui. Na minha rua já aconteceu dois assassinatos”, disse a estudante Abigail Barbosa.
A pesquisa também fez estatísticas proporcionais. Considerando o tamanho da população, o Brasil tem a terceira maior taxa de homicídios da América do Sul. Só é pior na Venezuela e na Colômbia. Aqui são 22,7 assassinatos a cada 100 mil habitantes. “Muitos colegas da gente já foram assassinados, a gente vai fazer o quê?”, indaga o funcionário público João Doroten.
A ONU aponta que, onde há desigualdade social, poucos ricos e muitos pobres, o risco de crimes violentos é quatro vezes maior. O estudo diz que, quando a economia piora, a violência pode aumentar. Durante a crise financeira de 2008, houve um número maior de assassinatos em alguns países. “O desemprego deixa as pessoas desorientadas”, disse o sapateiro Edson.
Além de falta de dinheiro, tem as drogas. “Desigualdade e também regiões onde tem um narcotráfico, um crime organizado mais intenso. Essas duas razões são as principais razoes da violência no Brasil”, disse Bo Mathiasen, representante da ONU sobre drogas e crime.
A maior parte dos crimes com mortes são por armas de fogo. Homens e jovens são as vítimas mais comuns. “Se ele não pagar o traficante, o traficante mata”, contou um senhor.
Segundo o levantamento, na Europa e na Ásia, 5% das mortes por armas de fogo têm relação com tráfico de drogas. Nas Américas, sobe para 25%. “Envolvimento com tráfico de drogas, dívida de droga ou alcoolismo ou briga de bar, esse tipo de coisa”, lembrou o delegado Felipe Socha.
“Há uma série de fatores que temos de atacar. A impunidade, por meio do aperfeiçoamento das nossas polícias, do desenvolvimento de atividades de investigação mais adequadas, como, por exemplo, com o fornecimento de equipamentos e de ações periciais mais céleres, mais competentes”, afirmou o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.
O número de homicídios com armas de fogo confirma a necessidade das campanhas de desarmamento.



Observe a tabela abaixo:

Taxa de homicídio de jovens por cem mil habitantes em 2008
UF
Taxa
Alagoas
125,3
Espírito Santo
120,0
Pernambuco
106,1
Distrito Federal
77,2
Rio de Janeiro
76,9
Paraná
73,3
Amapá
72,5
Pará
71,3
Bahia
70,7
Goiás
57,7
Mato Grosso do Sul
55,9
Paraíba
49,8
Sergipe
47,2
Mato Grosso
47,0
Amazonas
46,0
Rio Grande do Norte
46,0
Ceará
45,5
Rondônia
45,5
Minas Gerais
41,6
Rio Grande do Sul
40,4
Maranhão
33,6
Tocantins
31,7
Acre
31,7
Santa Catarina
25,4
São Paulo
25,3
Piauí
19,5
Roraima
18,1

Fonte: Mapa da Violência 2011




Epidemia
“Alagoas, Espírito Santo e Pernambuco, com suas taxas acima de 100 vítimas jovens a cada 100 mil jovens, ostentam marcas que não têm comparação mundial", diz trecho do Mapa da Violência. O sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, que coordenou o estudo, explica que acima de dez homicídios por cem mil habitantes a situação é "epidêmica".
Waiselfisz afirmou que a violência não é um fenômeno local e que se "espalhou por todo o Brasil". Segundo ele, para diminuir a violência, o governo deve tomar medidas tais como integração das forças de segurança e combate à corrupção policial.
Waiselfisz disse ainda que o desarmamento é importante, mas como medida isolada não é suficiente para conter a violência. O estudo coordenado pelo sociólogo mostra que o Brasil ocupa o 6º lugar no ranking de homicídios de jovens, com uma taxa de 52,9 homicídios por cem mil habitantes.
Fontes: G1 - Bom Dia Brasil - Edição do dia 07/10/2011, Sandro Lima Do G1, em Brasília e saúde.al.gov.br.

Além dos homicídios é bom lembrar que o trânsito também esta matando muito, sem falar naqueles que ficam mutilados, de acordo com o atendimento da Unidade do Agreste em Arapiraca, onde já está sendo chamada de Terra de Mutilados, assim preocupando por apresentarem vários procedimentos de amputação e sendo registradas 6.115 entradas por acidente de trânsito somente este ano, dados informados pelo site da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas.

Paz na Terra


Precisamos ser conscientes e mudar estes índices no Nosso Estado, é os recordes negativos do nosso Estado que não traz beneficio algum a sociedade, precisamos mostrar que podemos mudar e este o modelo do nosso Estado que esta destacados nas capas de Jornais todos os meios de comunicação deste País façam sua parte que juntos vamos mudar, comece agora.



Marcha contra corrupção ganha ruas

Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
13/10/2011 | 08h26 | Manifestação



Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Enviar por e-mail Imprimir


Ruas e avenidas de diversas cidades brasileiras foram tomadas, ontem, por manifestantes que clamavam por mudanças na política do país. Era a 2ª Marcha Contra a Corrupção. De acordo com a Polícia Militar, o maior público foi registrado em Brasília (DF), onde 20 mil pessoas percorreram a Esplanada dos Ministérios. Manaus, reuniu apenas 15. No Recife, o protesto teve cerca de 400 pessoas que, pela orla, caminharam da pracinha de Boa Viagem até as proximidades do Edifício Acaica.
Alguns Estados do Brasil já começaram a cobrar mudanças na política e nós Alagoanos quando vamos começar? Ou esta bem assim?
Os Cangaceiros Moreno e Durvinha









Os Cangaceiros Moreno e Durvinha estão eternizados pelas lentes do cineasta Cearense Wolney Oliveira, através do longa-metragem: Os Últimos Cangaceiros.
o filme foi lançado durante o Cine Ceará de 2011 onde foi bem aplaudido e comentado. No momento a película roda o Brasil participando e concorrendo vários festivais de cinema.
o trabalho teve a assessoria dos escritores João de Sousa Lima e Antonio Amaury.

--
Postado por João de Sousa Lima no João de Sousa Lima em 10/11/2011 09:55:00 AM

Nenhum comentário:

Postar um comentário